• VIA EXPRESSA

    Atendimento

    0800 28 38 100
  • Emergência

    SAU - Serviço de auxílio ao usuário

    0800 979 00 60
    • Facebook
    • Twitter
    • Blog

Monitoramento e Proteção de Animais Silvestres? Nós fazemos!

A RodoSol desenvolve o Programa de Proteção e Monitoramento de Animais silvestres, chamado É o Bicho. O programa inclui uma série de ações de monitoramento, prevenção e cuidado com os animais que moram no entorno da Rodovia do Sol.

Um dos trabalhos é a construção e manutenção dos faunodutos, que são  as passagens de fauna que ficam embaixo da rodovia. São túneis que direcionam os animais a passarem de um lado para o outro de maneira segura, evitando acidentes. É uma medida protetiva que da segurança aos animais e aos usuários. A RodoSol foi uma das pioneiras no Brasil na instalação desse sistema.

Dentro deles, a RodoSol instalou as caixas de pegadas, que são caixas de terra, colocadas nas entradas dos faunodutos, que registram a passagem do animal por aquele local (como mostra a foto abaixo). Elas são vistoriadas periodicamente a fim de registrar as travessias e, também, gerar dados para os relatórios anuais.

Dados de 2003 a 2015, mostram que 7217 travessias já foram registradas no local. As espécies mais frequentemente registradas, o mão-pelada (Procyon cancrivorus), seguido do teiú (Salvator merinae); gambá-de-orelha-preta (Didelphis aurita); paca (Cuniculus paca) e a lontra (Lontra longicaudis).

Registro Faunoduto - É o Bicho

O trabalho já rendeu reconhecimentos além das divisas do Espírito Santo em forma de prêmios ambientais. E esta é apenas uma parte do Programa de Proteção e Monitoramento da Fauna Silvestre, desenvolvido pela RodoSol, concessionária do Sistema Rodovia do Sol.

Além dos faunodutos, o programa incluiu a criação de passagens aéreas para os animais terem mais uma opção de passagem. Também é feito o monitoramento da fauna morta  por atropelamento e o resgate da fauna debilitada. Leia mais sobre o programa e seus desdobramentos no blog da RodoSol.

Saiba mais

O Programa de Proteção e Monitoramento de Animais Silvestres da RodoSol  é dividido em quatro subprogramas: Monitoramento de fauna silvestre morta por atropelamento, resgate de fauna debilitada na Rodovia do Sol, educação e comunicação ambiental e monitoramento dos sistemas de comunicação destinados à passagem de Fauna.

Entre os trabalhos realizados dentro do Programa está a catalogação e o armazenamento dos animais silvestres mortos, cujas carcaças posteriormente são enviadas às instituições de ensino para estudos. A RodoSol também promove o monitoramento dos seus faunodutos para o acompanhamento do comportamento da fauna da região do entorno.

A rodovia corta cinco unidades de conservação: o Parque Estadual Paulo Cézar Vinha, a APA de Setiba, a APA da Lagoa Grande, o Parque Municipal de Jacarenema e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Concha D’Ostra.

Acompanhamento dos Faunodutos

Os  faunodutos  têm  dimensões  distintas  e são acompanhados  de estruturas complementares como telas de direcionamento que induzem o  animal  a  utilizar  o  túnel  como caminho para atravessar a rodovia.  Além  disso, eles têm caixas de argila instaladas em sua entrada e saída para registro de pegadas dos animais.

Ao  analisar  as  pegadas diariamente, a equipe de Meio Ambiete consegue saber qual  a  espécie utilizou o faunoduto e se o animal completou a travessia. As “armadilhas fotográficas”, câmeras   com   sensores   instaladas  nas  extremidades  das estruturas, ajudam a complementar os dados obtidos por meio das caixas de areia, permitindo estimar a riqueza de espécies presentes na região.

Pegadas - É o Bicho

É o Bicho

2017 © Rodosol - Todos os direitos reservados   |   Política de privacidade   |   Ir para o topo 4Ps - Quatrops