15 fev de 2011 44 comentários

A Terceira Ponte já está paga?

Publicado às 18:44

A Concessionária Rodovia do Sol S/A é a empresa responsável pela administração, operação e manutenção do Sistema Rodovia do Sol e tem como missão atuar para garantir a segurança, o conforto e o bem-estar dos usuários, além de promover o desenvolvimento regional, respeitando o meio ambiente.

Criada em 1998, após vencer licitação para prestar o serviço, a RodoSol conquistou a excelência em atendimento, certificada pela ISO 9001. Porém, nestes 12 anos de concessão surgiram alguns mitos em torno da concessionária com relação à cobrança de pedágio, reajuste da tarifa, dívida da obra de construção da Terceira Ponte, entre outros. A partir de agora vamos esclarecer algumas das principais dúvidas dos usuários e cidadãos capixabas. Hoje vamos esclarecer sobre a dívida da construção da ponte e responder a pergunta de muitos: A ponte já está paga?


Arquivo Construção Terceira Ponte

Arquivo Construção Terceira Ponte


Dívida da construção da Terceira Ponte

A cobrança de pedágio no período de 1989 a 1998 foi executada pela empresa ORL para o pagamento da dívida de construção da Terceira Ponte. Porém, este contrato se encerrou em 1998 com a abertura do processo de licitação e concessão do Sistema Rodovia do Sol (Terceira Ponte e parte da Rodovia do Sol).

Quando a Concessionária Rodovia do Sol S/A assumiu o contrato de concessão, que não tem qualquer relação com o contrato anterior, a RodoSol pagou o resíduo da dívida do Estado para a construção da ponte. O pagamento foi realizado no ato da assinatura do contrato.

A receita proveniente do pedágio não é para pagar a ponte.  A receita é utilizada pela RodoSol para a manutenção e operação do Sistema Rodovia do Sol (Terceira Ponte e Rodovia do Sol), que envolve a recuperação de pavimentação, drenagem, implantação e recuperação de sinalização, conservação da faixa de domínio, os serviços oferecidos ao usuário, pagamento da folha salarial de 252 colaboradores diretos, além dos investimentos em novas tecnologias e das obras de duplicação da Rodovia do Sol no trecho sob concessão e construção do Contorno de Guarapari, no valor atualizado de cerca de R$ 380 milhões. Os investimentos realizados foram fundamentais para reduzir o índice de acidentes na Rodovia do Sol que era conhecida como “rodovia da morte”.


Arquivo obras Rodovia do Sol

Arquivo obras Rodovia do Sol



Saiba mais:

Os investimentos em melhorias na Rodovia do Sol, no trecho entre a Terceira Ponte e o Trevo de Meaípe em Guarapari, foram totalmente realizados com recursos da concessionária, conforme previsto no PER (Programa de Exploração Rodoviária). Para melhor distribuir o investimento no atendimento às necessidades da população local, o contrato dividiu a recuperação da Rodovia em duas etapas, atendendo ainda aos prazos contratuais para execução das atividades.

1ª etapa da obra

Duplicação do Trevo da Rodovia Darly Santos, em Vila Velha, até o Trevo de Setiba, em Guarapari.  A obra compreende em  30 quilômetros de duplicação.  A duplicação trouxe inúmeros benefícios não só para os motoristas que nela trafegam, os quais usufruem de segurança e excelente infraestrutura, mas também para os moradores e comerciantes das regiões próximas, que tiveram seus imóveis valorizados e o turismo incrementado.

Realizações:

• 30 quilômetros de pista dupla;

• 6 passarelas;

• Ponte sobre o Rio Jucu, com 168 metros;

• Viaduto para acesso à Terra Vermelha:

• Viaduto para acesso a Interlagos;

• Construção da base operacional do SAU – Serviço de Auxílio ao Usuário – km 19;

• Construção de quatro bases de pesagem para as balanças móveis;

• 9 quilômetros de pistas laterais entre Barra do Jucu e Ponta da Fruta;

• 11 quilômetros de ciclovia;

• Posto Geral de Fiscalização;

• Praça do Pedágio Praia do Sol;

• Iluminação no Trecho urbano da Barra do Jucu e Ponta da Fruta;

2ª etapa da obra:

Esta etapa contemplou 28 quilômetros e foi dividida em duas fases. A primeira possui 10,5 quilômetros de extensão, entre o trevo de Setiba e a Rodovia Jones dos Santos Neves. O trecho contou com seis obras de artes especiais: um viaduto, duas pontes e três passagens inferiores, além de passagens de fauna para evitar que animais silvestres sejam atropelados.

A segunda fase possui 17,5 quilômetros de extensão, entre a Rodovia Jones dos Santos Neves e Meaípe. No trecho foram construídas uma ponte, duas passagens inferiores, uma passagem superior (viaduto) e duas passagens de fauna e a base operacional do km 50,0 – SAU – Serviço de Auxílio ao Usuário. Duas Passagens de gado e mais duas bases de pesagem. Com a conclusão da primeira fase, com 10,5 quilômetros, os usuários com destino ao Litoral Sul do Estado não precisam mais passar pelo perímetro urbano de Setiba, Santa Mônica, Perocão e Muquiçaba.

A segunda fase, com 17,5 quilômetros, representou para os motoristas que se deslocam ao sul do estado, o fim dos congestionamentos no Centro de Guarapari, principalmente no verão e nos feriados, pois os veículos em direção a região sul do Estado, não precisam mais passar pelo centro do município.

Obras da rodovia finalizadasTerceira Ponte construída

Compartilhe: Permalink:
  • 16/02/11 - 18:16, walmir comentou:

    Uma coisa é falar outra é mostrar documentos para comprovar!
    outra é que estamos falano da terceira ponte e nao rodovia do sol!
    outra coisa gostaria de ver a planilha de lucro dos empresarios!

  • 17/02/11 - 16:45, RodoSol comentou:

    Olá, Walmir,

    A Rodosol é acompanhada, regulada e fiscalizada pela ARSI (Agência Reguladora de Saneamento Básico e infraestrutura Viária do Espírito Santo) , a quem devem ser solicitadas todas as informações sobre o contrato. A concessão é do Sistema Rodovia do Sol e não somente da Terceira Ponte ou Rodovia do Sol isoladamente.

    O balanço da concessionária, que é auditado por auditores independentes conforme determinação legal, é publicado anualmente no Diário Oficial e em um jornal de grande circulação do Estado. O balanço será publicado até o dia 30 de abril, como determina a lei.

    Quanto aos documentos, sugerimos a leitura do contrado de concessão, firmado em 98, com o Estado. Ele está disponibilzado na íntegra no site da ARSI. Vale ressaltar que o contrato foi parte integrante do edital de concessão, ou seja, elaborado antes de a RodoSol existir.

    Link Contrato de concessão da RodoSol: http://www.arsi.es.gov.br/index.php?id=/infraestrutura_viaria/concessionarias/materia.php&cd_matia=262

  • 25/07/11 - 18:11, Marco comentou:

    Não so contra o pg de pedagio mas sim o valor que é sem dúvida um enorme absurdo aproxim. 4 Km de ponte e esse valor de R$ 1,70 ( Carros passeio),enquanto, Rio Niteroi, aproxim. 15KM e o valor em torno de R$ 4.00. e detalhe,paga-se só um sentido.Então não me venham com essa que o valor é sem sombra nenhuma de dúvida abusivo.

  • 03/08/11 - 18:53, RodoSol comentou:

    Prezado, Sr. Marco.

    Agradecemos o seu contato, pois reconhecemos a importância de usuários participativos para melhoria contínua dos serviços prestados pela RodoSol.

    Esclarecemos que o cálculo da tarifa do pedágio é resultado dos custos de manutenção e operação e também dos investimentos realizados por cada concessionária. No caso do Sistema Rodovia do Sol, no valor da tarifa estão considerados os investimentos da duplicação da Rodovia do Sol até Guarapari e Implantação do Contorno de Guarapari, além dos serviços de operação, manutenção e conservação de todo o Sistema Rodovia do Sol (Terceira Ponte e trecho concedido da Rodovia do Sol). Acrescentamos que a concessão do Sistema Rodovia do Sol é fiscalizada pela Agência Reguladora de Saneamento Básico e Infraestrutura Viária do Espírito Santo (Arsi).

    Esclarecemos, também, que o modelo de cobrança bidirecional foi definido previamente no edital de licitação da concessão. Ou seja, a decisão do tipo de cobrança já veio determinada para a RodoSol. Acrescentamos, ainda, que a concessionária do Rio de Janeiro trabalha com cobrança em um sentido, com o valor dobrado, mas a rota alternativa é de cerca de 140km e ela opera apenas a ponte. A Terceira Ponte fica a menos de 10km de distancia da entrada da Segunda Ponte. Colocar um lado com cobrança e outro não, prejudicaria a fluidez do trânsito no sentido sem a cobrança da tarifa. Vamos supor que o sentido Vila Velha x Vitória seja com cobrança e o contrario não. Pela manhã grande parte do motorista iriam pela rota alternativa (sem cobrança), causando um dano o fluxo da região que teria um numero maior de veículos que recebe hoje. Já no sentido que na Terceira Ponte não teria cobrança ficaria com acumulo de fluxo e a Segunda Ponte livre. Pedágio, também, é uma ferramenta de gestão e ordenamento de tráfego, por isso o valor da tarifa na Terceira Ponte é dividida pelos dois sentidos. Fato estudado no projeto de elaboração do edital de concorrência pública realizado pelo Governo do Estado.

    Vale ressaltar que permanentemente nossos técnicos e consultores estudam soluções para trazer maior fluidez ao trafego de veículos, sempre em respeito as obrigações contratuais e compromisso com o usuário. Exemplo é a pesquisa de Origem&Destino que estamos realizando para conhecer o trajeto dos usuários nos acessos à Terceira Ponte. Começamos pelos usuários de cabine manual e agora estamos com a pesquisa em andamento para usuários Via Expressa.

    Aproveitamos a oportunidade para convidá-lo a conhecer melhor a gestão do Sistema Rodovia do Sol. Por favor, entre em contato via comunicacao@rodosol.com.br para agendarmos a sua visita.

    Equipe RodoSol

  • 02/10/11 - 09:33, Edgar comentou:

    concordo com o Srº Marcos dizer que a pessoa vai dar uma volta de 10 Km ou mais é um absurdo o gasto de gasolina e o resto do componentes do carro não compensa a volta fora o tempo que será gasto.
    O pedagio deveria ser em um unico sentido, assim como na rodovia do sol.
    Quero aproveitar e expressar elogios a rodosol pela e campanha sobre alcoolismo e direção que foi feita no último verão.

  • [...] se deu no período de 1989 a 1998 e foi executada por outra empresa, teve seu recurso destinado ao pagamento da dívida de construção da Terceira Ponte. Porém, este contrato se encerrou em 1998. Na ocasião, foi aberto processo de licitação [...]

  • 18/02/12 - 15:05, Maria Luiza comentou:

    Tenho um terreno em Vilage do Sol desde 2002, logo após o pedagio de Ponta da Fruta, ainda não constrimos pelo valor absurdo que teríamos que pagar todos os dias p/ ir trabalhar em Vila Velha.
    Oque tenho que fazer para não ter que pagar o pedágio ?

    Preciso desta resposta para resolver meu problema!

  • 09/03/12 - 15:17, RodoSol comentou:

    Boa tarde, Sra Maria Luiza

    Informamos que de acordo com o contrato de concessão 001/98, a Rodosol é impossibilitada de fornecer benefícios tarifários para qualquer segmento, sendo assim, os valores das tarifas dos pedágios da Terceira Ponte e Rodovia são os mesmos para todos aqueles que fazem uso do Sistema Rodovia do Sol.

    Esclarecemos, ainda, que todo procedimento a ser adotado pela RodoSol na exploração e conservação do Sistema Rodovia do Sol está delimitado no Contrato de Concessão nº 001/98 firmado com o Estado do Espírito Santo, que delimita os veículos isentos do pagamento de pedágio (cláusula XVIII, intem 5, quais sejam: Polícia Rodoviária, Bombeiros e Ambulâncias, Forças Militares, Polícia Federal e Polícia Civil e Fiscalização do DER-ES, todos devidamente identificados).

    Informamos, ainda, que a isenção de pedágio para usuários contempla moradores que possuem imóveis nas proximidades da praça de pedágio dp Praia do Sol e que tenham adquiridos os mesmos antes da instalação da Praça de Pedágio.

    Em dezembro de 2005 fora firmado entre DER-ES, RodoSol e Ministério Público um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a fim de regulamentar os casos de isenção de pedágio das pessoas que residem no entorno da Praça do Pedágio Praia Sol.

    No caso, para que possamos avaliar uma possível isenção de pedágio, é necessário que sejam atendidas algumas especificações do TAC, quais sejam:

    - Verificar se a área informada no e-mail está inclusa na área delimitada pelo TAC;
    - Apresentar comprovante de aquisição de propriedade do imóvel com data anterior a dezembro de 2000 (antes do início do pedágio);
    - Apresentar comprovante de propriedade de veículo em nome do proprietário do imóvel, cônjuge, ascendente ou descendente.

    Solicitamos que dirija-se ao Controle da Praça de Pedágio do Praia Sol para verificar se sua residência encontra-se na área demarcada do TAC. Lembrando que o TAC só prevê quem já possuia residência no local antes do início da cobrança de pedágio.

    Atenciosamente,
    RodoSol

  • 04/05/12 - 16:06, Tássio Ventorin comentou:

    Vocês tão querendo dizer que quando eu pago o pedágio da terceira ponte eu to pagando por causa de uma obra la em Guarapari, é isso? Por que eu tenho que pagar por algo que eu não estou usando? Em Guarapari não tem um pedágio pra isso, pra quem usa aquela estrada?

    Atenciosamente

  • 04/05/12 - 18:48, RodoSol comentou:

    Olá, Tássio.

    Queremos convidá-lo a vir em nossa sede para conhecer melhor a gestão do Sistema Rodovia do Sol. Aqui poderá fazer todos os seus questionamentos e saber muito mais sobre o nosso trabalho e como é o funcionamento de um contrato de concessão de rodovias. Acreditamos que a visita será esclarecedora como foi para muitos outros usuários.

    Você será recebido pela corpo de gestão da empresa. Aqui, as portas estão sempre abertas.

    Por favor, envie seus contatos para comunicacao@rodosol.com.br.

    Aguardamos o seu retorno.

    Equipe RodoSol

  • 31/01/13 - 09:28, Marlon Amorim comentou:

    Não acho injusto a cobrança de R$ 1,70, pela tercceira ponte e Rod do Sol.
    Mas discordo ao saber que este valor que está sendo pago não está é utilizado de uma maneira prioritária para a sociedade que desfruta a Rod. do sol e a Terceira Ponte.
    É grande a circulação de veiculos passando a todo momento nestes lugares, por isso o acumulo de lucro é muito grande.
    Passo por estes Lugares frequentemente, a munutenção está boa,
    mas com essa quantidade de lucros deveria ser exemplar.

    Atenciosamente,

    Marlon Amorim

  • 27/02/13 - 15:45, RodoSol comentou:

    Boa tarde, Marlon. Tudo bem?

    Aproveitamos a oportunidade para convidá-lo a vir conhecer um pouco melhor a gestão do Sistema Rodovia do Sol. Por favor, entre em contato por meio do endereço afigueiredo@rodosol.com.br para agendarmos a sua visita.
    Será um excelente momento para você conhecer e esclarecer todas as suas dúvidas.

    Aguardamos o seu contato.

    Equipe RodoSol

  • 19/03/13 - 13:55, Bruno comentou:

    Parabéns à Rodosol por esse canal de comunicação e excelentes respostas. Também acho que o custo do pedágio é alto mas quem reclama precisa conhecer toda a história e os documentos, o contexto da obra. As respostas aqui são totalmente baseadas em documentos, em fatos, e a empresa ainda se dispõe a receber qualquer pessoa com dúvidas.
    São atitudes como esta que devem ser seguidas; um diálogo franco e cordial, sem ironias ou meros “achismos”.
    Parabéns!

  • 21/06/13 - 13:43, João comentou:

    Poupe-se Sr.º Empregado da Rodosol…
    Quantos pedágios ela te deu para poder vim aqui falar asneira?!
    O seu imposto não é diferente do meu…Isso já era pra ter acabado!

    ROUBALHEIRA!

  • 27/03/13 - 11:08, RodoSol comentou:

    Obrigada, Bruno.

    Realmente nós temos a política de portas abertas. Quem quiser pode perguntar, vir aqui, questionar e etc. É sempre muito positivo receber nossos usuários que possuem dúvidas.

    Equipe RodoSol

  • 13/05/13 - 11:13, Wagner comentou:

    E quando vamos terminar de pagar isso, aquilo, seja lá o que for?
    Quando EU vou deixar de pagar esse valor para ir ao centro de Vila Velha todos os dias?

  • 15/05/13 - 10:50, RodoSol comentou:

    Olá, Sr. Wagner.
    Como o senhor leu no texto, o pedágio da Terceira Ponte não é para pagar a construção dela. O contrato do Sistema Rodovia do Sol vai até 22 de dezembro de 2023.

    Equipe RodoSol

  • 14/06/13 - 17:42, Carlos comentou:

    A 2ª Ponte não tem pedágio e funciona bem. A 3ª Ponte teve um custo aproximado de U$150 milhões, o equivalente a 3 anos de arrecadação. Como já tem 24 anos que a ponte foi construída, já foi arrecadado o equivalente a 8 pontes. Até 2013 já terá arrecadado quase 12 pontes.
    A Rodovia do Sol arrecada quase o mesmo valor e tem condições suficientes de se manter, além de proporcionar altos lucros à Rodosol.

  • 15/06/13 - 20:22, Carlos comentou:

    A 3ª Ponte teve um custo aproximado de U$150 milhões, o equivalente a 3 anos de arrecadação. Como já tem 24 anos que a ponte foi construída, já foi arrecadado o equivalente a 8 pontes. Até 2013 já terá arrecadado quase 12 pontes.
    A 2ª Ponte não tem pedágio e funciona bem.
    A Rodovia do Sol arrecada quase o mesmo valor e tem condições suficientes de se manter, além de proporcionar altos lucros à Rodosol.

  • 15/06/13 - 20:24, Valfrido comentou:

    A 3ª Ponte teve um custo aproximado de U$150 milhões, o equivalente a 3 anos de arrecadação. Como já tem 24 anos que a ponte foi construída, já foi arrecadado o equivalente a 8 pontes. Até 2013 já terá arrecadado quase 12 pontes.
    A Rodovia do Sol arrecada quase o mesmo valor e tem condições suficientes de se manter, além de proporcionar altos lucros à Rodosol.

    A 2ª Ponte não tem pedágio e funciona bem.

  • 15/06/13 - 20:29, Orlando Felegônio comentou:

    A 2ª Ponte não tem pedágio e funciona bem. A 3ª Ponte teve um custo aproximado de U$150 milhões, o equivalente a 3 anos de arrecadação. Como já tem 24 anos que a ponte foi construída, já foi arrecadado o equivalente a 8 pontes. Até 2013 já terá arrecadado quase 12 pontes.
    A Rodovia do Sol arrecada quase o mesmo valor e tem condições suficientes de se manter, além de proporcionar rendimentos aos empresários mais que suficientes. Mas, será que não sobra muito dinheiro, será que não há um exagerado ganho nisso tudo. Acho que é interessante falar sobre isso para a população, ela está aguardando sua resposta.

  • 21/06/13 - 20:20, Fabiano comentou:

    A Rososol arrecada 142 mil reais por dia com a arrecadação da ponte. A ampliação da rodosol salvou muitas vidas acho que isso é valido.

  • 24/06/13 - 12:14, RodoSol comentou:

    A Rodosol somente pode construir outras saídas da ponte, mudança da cabine e aumentar o número se o contrato de concessão for alterado pelo Governo do Estado. O governo é o único com poder para fazer qualquer mudança. O mesmo serve em relação ao radar. A Rodosol não instala radares, e sim o Departamente de Estradas e Rodagens (DER-ES) que é comandado pelo governo do Estado. O dinheiro arrecadado com o pedágio tem a finalidade de pagar a manutenção e conservação da Terceira Ponte e Rodovia do Sol até o Km 63.

  • 24/06/13 - 12:51, Theófilo comentou:

    Meu Ponto de vista: Não estou aqui para defender a Rodosol, também acho que é caro as tarifas! Mas na boa, se a Rodosol saísse de campo e a 3ª ponte passasse a ser responsabilidade do Governo e não mais da Rodosol eu não passaria mais por ela nunca mais! A Rodosol fiscaliza o núcleo da ponte para saber se não está oxidando e se está segura de fato! você leitor acha que o governo faria isso? Olha o exemplo da 2ª ponte as ferragens estão a amostra faz anos e anos! Será que esta reforma que eles vão fazer (se é que vão fazer mesmo) é realmente segura visto que a ferragem já oxidou faz tempo? O Governo só sabe estuprar o povo com taxas exorbitantes em impostos que ninguém sabe para onde vai! o Governo não está nem aí para nós! felizmente para uns e infelizmente para outros o que move este país é a iniciativa privada.

  • 24/06/13 - 15:14, João comentou:

    A ponte é um dos problemas do Espírito Santo. O direito de ir e vir do cidadão é limitado por pontes? Tarifas?!
    Este contrato com o governo isenta-o de arcar com a manutenção da ponte (que já foi paga). E os impostos recolhidos não dariam para pagar esta manutenção?
    Sou contra todo tipo de vandalismo praticado em bens públicos e privados e o senhor governo do estado junto com que mais achar conveniente, vão ter que explicar como funciona, isso vai!

  • 24/06/13 - 15:19, Mariana Gomes comentou:

    Mas qual o motivo da contratação de uma empresa para serviços de manutenção de estradas uma vez que já pagamos impostos para que o governo arque com isso?

    Quando falamos que a ponte já foi paga, não é porque não sabemos que o serviços da Rodosol é de manutenção (e não de pagamento da construção da ponte) mas sim que pagar a ponte seria o único argumento justicável para pagarmos pedágio.

    Manutenção das estradas bem como suas melhorias são obrigações do Governo, não das empresas.
    Obs.: Ou acabem com os impostos e deixem APENAS o pedágio mas pagar DUAS vezes (em impostos e em pedágios) não dá pra aceitar.

  • 24/06/13 - 15:33, RodoSol comentou:

    De acordo com o serviço a ser realizado é necessário um determinado horário a ser feito. A equipe sempre busca realizar esses trabalhos nos horários em possívelmente são de menor fluxo, que normalmente são no final de semana. Sabemos que bloquear uma pista é um transtorno, mas é necessário para fazer a manutenção, conservação e reparo da via. A maioria dos serviços n]ao podem ser feitos à noite porque temos que pensar nas condições de segurança dos trabalhadores e necessidades mínimas para realizar os serviços, como luminosidade e o sol para secvar o asfalto, por exemplo.

  • 24/06/13 - 15:41, RodoSol comentou:

    Os funcionários da RodoSol não são isentos do pagamento do pedágio da Terceira Ponte ou da Praça do Pedágio da Praia Sol, na fronteira de Guarapari e Vila Velha.

  • 24/06/13 - 15:49, RodoSol comentou:

    O pedágio da Rodosol completa 15 anos em dezembro deste ano. O contrato tem a duração de 25 anos, faltando mais 10 para ser concluído. Esse valor do pedágio é para pagar os serviços de manutenção, reparo e conservação tanto da Ponte, como de toda a Rodovia do Sol até o Km 67. Além disso, também tem a função de pagar os equipamentos, como guincho e carro-pipa, para atender a incêndios, acidentes e panes.

  • 03/07/13 - 11:55, Alex Sales comentou:

    Se é verdade essas “manutenção e serviços” são de péssima qualidade e muito incompetência.

  • 24/06/13 - 15:50, RodoSol comentou:

    O pedágio da Rodosol completa 15 anos em dezembro deste ano. O contrato tem a duração de 25 anos, faltando mais 10 para ser concluído. Esse valor do pedágio é para pagar os serviços de manutenção, reparo e conservação tanto da Ponte, como de toda a Rodovia do Sol até o Km 67. Além disso, também tem a função de pagar os equipamentos, como guincho e carro-pipa, para atender a incêndios, acidentes e panes.

  • 24/06/13 - 15:51, RodoSol comentou:

    O pedágio da Rodosol completa 15 anos em dezembro deste ano. O contrato tem a duração de 25 anos, faltando mais 10 para ser concluído. Esse valor do pedágio é para pagar os serviços de manutenção, reparo e conservação, como duplicaçaõ da pista, recapiamento do asfalto, conserto de semáforos, tanto da Terceira Ponte, como de toda a Rodovia do Sol até o Km 67. Além disso, também tem a função de pagar os equipamentos, como guincho e carro-pipa, para atender a incêndios, acidentes e panes.

  • 24/06/13 - 20:08, Renato comentou:

    com os valores atuais dos pedagios cobrados pela RODOSOL, muitas outras obras deveriam ser feita, mas nao foram… O canal que passa pela terceira ponte e tambem passa no terminal da Transcol continua aberto e pelo jeito nao vai ser feito nunca…
    Isto nao faz parte do contrato e das obrigacoes da RODOSOL???

  • 25/06/13 - 11:51, newton comentou:

    o link do contrato nao funciona,aonde sai o balanço mensal e anual da rodosol e quem sao os socios?

  • 26/06/13 - 15:11, RodoSol comentou:

    O governo do Estado congelou o preço da tarifa do pedágio entre 2003 e 2007, abrindo mão do percentual de remuneração de 3% que a concessionária deveria lhe pagar e assumiu a urbanização do Canal Bigossi. Todas as outras obras previstas no contrato foram feitas, como a duplicação da Rodovia do Sol e a construção do contorno em Guarapari. Para fazer esse serviço foram investidos R$ 380 milhões e o pagamento desse valor foi dividido em 25 anos, período da concenssão da RodoSol, sendo que este ano está completando 15 anos de contrato.

  • 27/06/13 - 13:02, RodoSol comentou:

    Os serviços da Via Expressa, como contrato, saldo e extrato, estão fora do ar porque estamos criando um novo site. Agradecemos a compreensão e paciência.

  • 27/06/13 - 15:09, RodoSol comentou:

    O contrato de concessão está disponível no site da Agência Reguladora de Saneamento Básico e Infraestrutura Viária do Espírito Santo (ARSI). Já o balanço Patrimonial é um documento anual e é publicado em um jornal de grande circulação e no diário oficial.

    Em relação a composição acionária, ela atualmente é a seguinte: Coimex Empreendimentos e Participações Ltda, com 38%; Tervap Pitanga Mineração e Pavimentação Ltda, com 38%; Urbesa Administração e Participações Ltda, com 7,5%; Construção e Comércio Vitória Ltda, com 7,5% e ES 60 Empreendimentos e Participações Ltda com 9%.

  • 27/06/13 - 20:19, alexandre comentou:

    essa rodosol deve ser de algum politico o socio

    agora o povo acordou

  • 01/07/13 - 11:06, RodoSol comentou:

    A relação dos acionistas da RodoSol encontra-se disponível em nosso site http://www.rodosol.com.br . Para maiores esclarecimentos, solicitamos que acessem o site e conheçam a nossa história.

  • 05/07/13 - 03:28, Emiliano Zapata comentou:

    Gente explorada defendendo um sistema corporativo vamos acordar a rodo sol não é sua amiga

    gentil funcionário da roubo sol, não desejo resposta escrita, peço que encaminhe essa mensagem a quem possa interessar

    roubosol vamos trabalhar de forma honesta de verdade, derrubem os pedágios !

    invistam em um sistema aquaviario de qualidade Vitoria/Vila velha/Cariacica sem catracas, local em que xs atuais funcionarios envolvidos no pedágio podem trabalhar com qualidade.

    creio que sabem que é possível articular um acordo para oferecer um serviço aquaviario gratuito e de qualidade em que arrecadem investimentos provenientes do IPTU?
    Quem arrecada mais, paga mais.

    pensem bem, o brasil é grande, fica a dica

    quem sabe irão dormir melhor um dia
    todos somos filhos dessa terra,

  • 09/07/13 - 13:01, RodoSol comentou:

    A construção de uma malha viária no Estado, incluindo o aquaviário é de responsabilidade do Governo do Estado. Após a construção pode ser decidido ser feita uma licitação para que uma empresa privada administre, como no caso da Rodovia do Sol e Terceira Ponte que a concessão é da RodoSol. Não temos o poder de fazer esse serviço, ou fazer acordo para articular a construção do mesmo.

  • 09/07/13 - 13:10, RodoSol comentou:

    Bom dia senhor Alex Sales, gostaria de saber o por que dessa afirmação. Existe algum local que o senhor acredita que precise de reparo na Terceira Ponte ou Rodovia do Sol. Quando foi preciso atendimento de resgate ou remoção não foi atendido? A sua reclamação é muito importante para a melhoria da qualidade do nosso serviço, mas para isso precisamos de informações objetivas. Caso o senhor considere algo que precisa ser feito ou tenha alguma reclamação específica, favor nos enviar, que faremos o possível para atender e garantir um melhor serviço para o senhor e todos os usuários do nosso sistema.

  • 10/07/13 - 02:45, Gabriel comentou:

    Gostaria de saber qual número de carros que são tributados diariamente, somente na terceira ponte ?
    Atenciosamente

  • 12/07/13 - 15:53, RodoSol comentou:

    Atualmente, a média diária de veículos que pagam pedágio é de 70 mil. Lembrando que ônibus do sistema Transcol estão isentos do pagamento.

Faça seu comentário

*O e-mail não será divulgado no seu comentário › Conheça nossa política de comentários

Alterando sua foto

Para a sua foto aparecer em seus comentários, é só seguir os passos abaixo:

- Faça um cadastro no site Gravatar, com upload da foto.

- Ao comentar nas postagens, preencha o campo com o mesmo e-mail que você cadastrou no Gravatar.